terça-feira, maio 05, 2009

Paridos e criados ao deus dará


" Ninguém o ensinara, posto no mundo, não por amor ou por vontade, tinha que nascer simplesmente, ao pai ensinaram-lhe apenas a ter mulher para as lides da casa, à mãe ensinaram -na a ter homem que assegurasse o sustento e filhos para o inverno da vida, alguém que olhasse por ela.
Nasceu, sem medo da liberdade, o céu, era o horizonte mais próximo, como companhia as tertúlias do vento nos longos dias que se colavam às noites.
Hoje, respira o sopro silencioso dos pensamentos, distingue ao longe nos montes altaneiros, todos os pássaros e espera calmamente pelo dia em que terá que abandonar o seu refúgio, o seu território de intimidade."

Os gatafunhos são da XICA

Obrigado amiga, a esta escrita chamo olhares de gostar e de sentir, olhares de ver, estar e ser.
fica aqui um beijinho para a Xica.

3 comentários:

XICA disse...

Tã nã éi cus môços têm jêto pra isto! Muitos mimos pra ti amigo.

Ana Mascarenhas disse...

São as dores de viver sem saber como viver...
São as dores de viver sem poder melhor viver...
São as dores...

Para ti meu amigo, um grande abraço de enorme carinho.

Velho
Mafalda Veiga


Parado e atento à raiva do silêncio
de um relógio partido e gasto pelo tempo
estava um velho sentado no banco de um jardim
a recordar fragmentos do passado

na telefonia tocava uma velha canção
e um jovem cantor falava da solidão
que sabes tu do canto de estar só assim
só e abandonado como o velho do jardim?

o olhar triste e cansado procurando alguém
e a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
a imagem da solidão que irão viver
quando forem como tu
um velho sentado num jardim

passam os dias e sentes que és um perdedor
já não consegues saber o que tem ou não valor
o teu caminho parece estar mesmo a chegar ao fim
pra dares lugar a outro no teu banco do jardim

o olhar triste e cansado procurando alguém
e a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
a imagem da solidão que irão viver
quando forem como tu
um resto de tudo o que existiu
quando forem como tu
um velho sentado num jardim

Natália disse...

Há momentos poderosos em que nos transportam a um tempo saudoso, um passado sem tento... Nem ídolo.
Fiquei aqui quietinha me sentindo assim... Fez até água redonda...(sniff)
Brigadim pelo instante anjo...

Te espero no meu cantim.
Entre querido e veja se gostou do que fiz !!
http://pedassimdimim.dimim.blogspot.com

amaratedoer.slides@hotmail.com