quarta-feira, março 11, 2009


Vagabundos noctívagos
Poetas moribundos
Vagueiam
Estrelas caminhos
De barcos
De papel os sonhos
Encharcados da chuva
Desfazem-se
As folhas secas
Do Outono partem
Noite fora
O silêncio das aves
Trémulas na madrugada

O maltês

7 comentários:

Ana Mascarenhas disse...

Ler-te, é ligar-te à natureza...

És força e Pai Terra que sustenta ao que chamamos Mãe Terra...

Ana Mascarenhas

Anónimo disse...

Ler-te , é ligar-te ...à Corrente eléctrica...

sandra g.d. disse...

Belíssima foto....

Quer contribuir com ela para o exercício do silêncio, «.o silêncio dos outros» que está em curso no meu blogue? Gostava muito.

Beijinhos para o Alentejo e para as mãos que montam exposições quando as palavras são andarilhas ;-)
Sandra

Natália disse...

Nossa... Infantilizo-me lendo-te. Piso ainda criança à terra arada, suada, molhada. Até derricei cafezais!
LINDO TEU CANTINHO ANJO...
BOM CONHECÊ-LO...
visite-me também em
http://pedacinhusintimus.blogspot.com
Gostaria do teu parecer
*Bjinhux de amaratedoer*

XICA disse...

Tã nã éi cumémôço é taliqualzinho ele mesmo.
Adorei o espaço, fotos e texto, sei do que és capaz amigo, sempre soube.
Muntos Jinhos

Natália disse...

É sempre bom ler-te mais um pokim
Dê também a tua lua pra mim!

Há "consequelas" as vzs em nossa caminhada, porém me deste sem querer... uma idéia!...(risinhos)
Visite http://pedassimdimim.blogspot.com É lá tua aprovação anjo!
*amaratedoer*

XICA disse...

Maltês, vá l´áver s´arranjas uma miguelha pa saí daqui.
Jocas grandes