domingo, dezembro 26, 2004

Sonhos na Madrugada

Chovem sonhos na madrugada
O Sol desperta o silêncio

Lentamente

Bandos de aves soltam as asas
Entornando cantes sobre a aurora

Suavemente

Correm rios num leito fumegante
Malmequeres desabrocham pétalas

Enternecidas

Papoilas lançam sorrisos
Aos viajantes do tempo

Apaixonados

Corações palpitam a hora
A que as fontes soltam seus fios de água

2 comentários:

pedra disse...

Já tardavas, Maltez. Ainda bem que voltaste e logo com um poema muito bonito. Um Ano Novo com tudo o que queiras de melhor para ti e os teus.

Luís disse...

Perfeito.