quinta-feira, novembro 12, 2009

Mãos que tocam



Mãos que te tocam
Mãos que me tocam
Mãos que se tocam
As minhas mãos
As tuas mãos
As nossas mãos
Juntas
As mãos
Percorrem suavemente
Os rios
Linhas de água
Que os dedos descobrem
Na sensualidade
Dos corpos
Nus
Dos amantes
As mãos tocam
As minhas mãos…
As tuas mãos
As nossas mãos….
Desbravam
Calmamente
Os corpos
Criam tempestades
E arrepios de pele
As tuas mãos
As minhas mãos
As nossas mãos
Tocam
As melodias dos corpos
Nus …

O maltês

10 comentários:

XICA disse...

Oh amigo, assim fico sem condições de te passar um raspanete! Pronto, tá tudo dito, tá perdoada a ausência!
Maravilhoso o poema, lindas as fotos que refletem um doce sentir, e um alegre regresso ás andanças e ao convivio dos amigos.
Uma grande bjoca.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
XICA disse...

Maltes, apaga lá este anónimo aqui de cima, palpita-me que o bicho quer fazer uns estragos nos computadores.

Natália disse...

Importará como deixas o peito? Soberano o feres de jeito... Cruzarás outros mares
Sondarás distintos ares...

Fizestes jus ao regresso anjo querido
Um redondo Beijinho para ti
Ná.Stos.

hfm disse...

A eterna melodia das mãos. Belíssimo!

Madalena disse...

mas que mãos, hein?!!!

beijinho :) *

Maria Clarinda disse...

Meu Amigo Lindo!!!Este poema marcou-me , como todos os outros teus...está divinal,e as fotos , claro...lindas como sempre!!!!
Jinhos de carinho!

Maria Clarinda disse...

E Meu Amigo lindo voltei...um ano depois....procurando a magia das tuas fotos e palavras...onde estão as novas? Fico à espera.
Beijos de carinho

XICA disse...

Tã Migo ist´nã anda?

Di...vagar disse...

oh compadri, atão você tinha uma casa da genti assim tam linda e não me dizia nada??
o que eu gostei de entrar!!!
beijo e volto sempre :O)